Já que Dilma apóia investigação, oposição quer convocar Renato Duque na CPI

17/11/2014 08h48m. Atualizado em 17/11/2014 09h42m

CompartilheShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on RedditShare on VK

A novela do requerimento de convocação do ex-diretor de Serviços da Petrobras, Renato Duque, corre há dias na CPI da Petrobras. Primeiro, um ‘acordão’ entre base e oposição adiou a votação. Dias depois de o presidente do PSDB, Aécio Neves, desautorizar o partido a manter o acordo, a oposição tentou votar o requerimento, mas a base obstruiu e não houve quórum para deliberar.
Enquanto o Congresso protelava a convocação, Renato Duque foi preso pela Polícia Federal. Ainda não se sabe se ele irá ou não aderir à delação premiada. Antes que o faça e seja impedido pelo acordo com a Justiça de falar em outras instâncias, a oposição quer aproveitar as declarações da presidente da República, Dilma Rousseff, em apoio às investigações na Petrobras, para levá-lo à CPI da Petrobras.
Para o líder do DEM na Câmara, deputado Mendonça Filho (PE), a convocação de Renato Duque será a prova de que Dilma Rousseff não quer ficar apenas no discurso: “o governo até agora atuou para impedir a investigação da CPI Mista. A bancada aliada atuou
 para impedir a convocação de Duque na semana
passada. Espero que esse discurso dela”, disse Mendonça Filho ao Estadão.
O líder do PSDB no Senado, Aloysio Nunes Ferreira (SP), disse ao Estadão que a convocação de Renato Duque na CPI pode dar “um pouco” de credibilidade às declarações de Dilma: “Se os líderes do governo concordarem em convocar o Duque, talvez comecemos a dar um pouco de crédito às declarações. Como é que a presidente Dilma vai continuar dizendo que não sabia de nada? “, perguntou Aloysio Nunes.

Matheus Leitão

Matheus Leitão é jornalista há 15 anos. Em sua carreira, passou pelas redações do Correio Braziliense, revista Época, portal iG e Folha de S.Paulo. Matheus recebeu o Prêmio Esso por duas vezes, o Troféu Barbosa Lima Sobrinho -- além de menção honrosa no Vladimir Herzog. Entre 2011 e 2012, esteve na Universidade de Berkeley, na California, como Visiting Scholar.

    Comente

    O autor do blog não se responsabiliza pelo comentário.