Juiz manda prender citando respaldo de Dilma e Aécio

15/11/2014 09h07m. Atualizado em 15/11/2014 18h29m

CompartilheShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on RedditShare on VK

Titular da operação Lava Jato, o juiz federal Sérgio Moro citou a presidente reeleita Dilma Rousseff e o candidato derrotado Aécio Neves (PSDB-MG) no despacho que marcará a história recente ao prender nesta sexta-feira (14) os executivos das maiores empreiteiras do Brasil.
Na decisão judicial, Moro afirma que chamou a atenção dele as “recentes declarações sobre [o escândalo da Petrobras] da Exma. Sra. presidente da República, Dilma Rousseff, e do Exmo. Sr. Senador da República Aécio Neves”.
Moro continua: “Reclamou o Exmo. Sr. Senador, em pronunciamento na Câmara Alta, pelo ‘aprofundamento das investigações e exemplares punições àqueles que protagonizaram o maior escândalo de corrupção da história deste País. Quanto à Exma. Sra. Presidente, declarou, em entrevista a jornal, que as investigações da Operação Lava Jato criaram uma ‘oportunidade’ para coibir a impunidade no país”,
Segundo Moro, “apesar de adversários políticos na recente eleição presidencial, ambos, em consenso, afirmaram a necessidade do prosseguimento do processo e a importância dele para o quadro institucional”
Na meditação, Moro defende a razão em um país que nem sempre a lógica prevalece. “Evidentemente, cabe ao Judiciário aplicar as leis de forma imparcial e independentemente de apelos políticos em qualquer sentido. Os apelos […] de duas das mais altas autoridades políticas do País e que se encontram em campos políticos opostos confirmam a necessidade de uma resposta institucional imediata para coibir a continuidade do ciclo delitivo descoberto pelas investigações”, diz ele, antes de defender o remédio “amargo” das prisões.
Já escrevi no blog nesta sexta e repito que a operação se tornou a maior da história na economia brasileira, levando à prisão executivos de algumas das maiores empresas do país — sempre entre as grandes doadores de campanha.

Matheus Leitão

Matheus Leitão é jornalista há 15 anos. Em sua carreira, passou pelas redações do Correio Braziliense, revista Época, portal iG e Folha de S.Paulo. Matheus recebeu o Prêmio Esso por duas vezes, o Troféu Barbosa Lima Sobrinho -- além de menção honrosa no Vladimir Herzog. Entre 2011 e 2012, esteve na Universidade de Berkeley, na California, como Visiting Scholar.

    Comente

    O autor do blog não se responsabiliza pelo comentário.