Os 39 ministros de Dilma vão pedir demissão

06/11/2014 17h32m. Atualizado em 06/11/2014 17h55m

CompartilheShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on RedditShare on VK

Os trinta e nove ministros que compõe o governo da presidente da República Dilma Rousseff devem entregar uma carta de demissão nos próximos dias. A orientação está sendo dada pelo chefe da Casa Civil, Aloizio Mercadante (foto), segundo nota publicada nesta quinta-feira (6) na coluna do jornalista Ilimar Franco no jornal O Globo. Trata-se apenas de um gesto simbólico para deixar Dilma Rousseff à vontade para substituir os ministros sem ter de constranger ninguém com demissão.
Dilma Rousseff prepara uma reforma ministerial para os próximos dias e as especulações sobre quem entra e quem sai na equipe mais próxima da presidente alvoroçam os bastidores.
A definição mais esperada é quem vai ocupar o ministério da Fazenda, mas Dilma já avisou que só anuncia o substituto de Guido Mantega, na volta da reunião de Cúpula do G20, grupo que reúne as 20 maiores economias do mundo. O encontro será realizado na Austrália, entre os dias 15 e 16.
A ministra da Cultura, Marta Suplicy deu a entender, nesta quarta-feira (5), que vai voltar ao Senado, onde tem mais quatro anos de mandato, até o fim do ano. O ministro dos Esportes, Aldo Rebelo, também já sugeriu que não deve continuar. A bancada do PCdoB não fez parlamentares suficientes para, no jogo político de Brasília, justificar a permanência de Aldo no ministério. Gilberto Carvalho também deve sair da Secretaria-Geral da Presidência.
Apontado como “coringa”, Jaques Wagner está cotado para a presidência do Petrobras, para Casa Civil e Integração. Gilberto Kassab, presidente do PSD, cobra de Dilma maior participação do PSD na Esplanada e deve ser indicado para alguma pasta, provavelmente as cidades. Guilherme Afif deve ser mantido na Secretária das Micro e Pequenas Empresas.

Matheus Leitão

Matheus Leitão é jornalista há 15 anos. Em sua carreira, passou pelas redações do Correio Braziliense, revista Época, portal iG e Folha de S.Paulo. Matheus recebeu o Prêmio Esso por duas vezes, o Troféu Barbosa Lima Sobrinho -- além de menção honrosa no Vladimir Herzog. Entre 2011 e 2012, esteve na Universidade de Berkeley, na California, como Visiting Scholar.

    Comente

    O autor do blog não se responsabiliza pelo comentário.