Qual é o déficit recorde do dia? O da balança comercial…

03/11/2014 20h04m. Atualizado em 10/12/2014 23h46m

CompartilheShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on RedditShare on VK

Todo dia é dia de déficit. Em geral recorde, ou o maior em muitos anos. As manchetes da economia já estão ficando repetitivas.
Na sexta-feira (31) foi o buraco fiscal, as contas públicas no pior resultado da série. Terça-feira (3) o rombo é comercial.
Na conta entre o que o Brasil vendeu e o que comprou do exterior deu uma diferença negativa que é a pior desde 1998.
O déficit de US$ 1,77 bilhão no comércio exterior em outubro é o pior para o mês dos últimos 16 anos, segundo o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior.
Divulgados nesta segunda-feira (3), os dados mostram que os números negativos são causados pela retração de exportação em várias categorias de produtos, mas mais forte em relação ao minério de ferro, soja, milho, aviões e automóveis.
A diferença entre o número ruim de sexta e o de hoje é que no comércio se o Brasil terminar o ano no negativo não há problema porque o país tem muitas reservas cambiais.
Mas o déficit primário de sexta só pode ser coberto se o governo tirar mais impostos dos contribuintes ou se cortar nos gastos. A terceira via é pior: é aumentar o endividamento.
A queda desta terça-feira (4) é da produção industrial em setembro. Caiu 0, 2 % em relação a agosto, 2,2% em comparação com setembro de 2013 e 2,9% no acumulado do ano passado, segundo o IBGE. Ninguém tem duvida que esse ano será de recessão na industria, setor que mais esta sentindo o efeito da falta de confiança e portanto do investimento. Está tudo descendo a ladeira.

Matheus Leitão

Matheus Leitão é jornalista há 15 anos. Em sua carreira, passou pelas redações do Correio Braziliense, revista Época, portal iG e Folha de S.Paulo. Matheus recebeu o Prêmio Esso por duas vezes, o Troféu Barbosa Lima Sobrinho -- além de menção honrosa no Vladimir Herzog. Entre 2011 e 2012, esteve na Universidade de Berkeley, na California, como Visiting Scholar.

    Comente

    O autor do blog não se responsabiliza pelo comentário.