Disputa entre PT e PMDB por Ministério de Minas e Energia tem potencial bélico

03/11/2014 09h49m. Atualizado em 03/11/2014 10h38m

CompartilheShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on RedditShare on VK

Enquanto a presidente da República, Dilma Rousseff, curtia seus quatro dias de descanso na Base Naval de Aratu (BA), PT e PMDB travaram uma disputa de bastidores pelo comando do Ministério de Minas e Energia no segundo mandato do governo.
O PT já até conta com uma lista de indicações para o sucessor do ministro Edison Lobão, mas o PMDB tem arsenal parlamentar suficiente para enquadrar o governo e manter o ministério. A despeito da disputa entre os partidos, Dilma Rousseff, que já foi ministra de Minas e Energia, considera a pasta como de sua “cota pessoal”.
A cúpula petista vibrou com a possibilidade de tomar o ministério do PMDB, desde quando o nome de Lobão foi apontado na delação premiada do ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa. O PT vai alegar que tirar o PMDB do comando da pasta é uma questão ética, mas o real interesse é aumentar o poder do partido na Esplanada.
Fernando Pimentel, governador eleito de Minas Gerais, quer emplacar na pasta o amigo José Fernando Coura, presidente do Instituto Brasileiro de Mineração (Ibram), de acordo com nota publicada na coluna Brasil Confidencial na revista Istoé de sábado (1.o). Enquanto Giles Azevedo é o nome preferido nas especulações petistas por contar com o apreço pessoal da presidente Dilma Rousseff.
A saída do atual ministro Edison Lobão já são favas contadas. Lobão foi reeleito senador em 2010 e deve cumprir os quatro anos restantes de seu mandato. Mas retirar do PMDB o comando da pasta não será tarefa fácil.
Já na primeira votação da Câmara dos Deputados pós eleições, o PMDB derrubou a criação dos Conselhos Populares e mandou recado à presidente Dilma Rousseff que não vai aceitar ser tratado como coadjuvante do PT, no segundo governo.
O PMDB tem um leque de líderes importantes que foram derrotados nas eleições em seus estados. A maioria deles atribui ao PT, por ação ou por omissão, a derrota. Henrique Alves (RN), Eunício Oliveira (CE), Eduardo Braga (AM), Vital do Rêgo (PB) fazem parte da lista de peemedebistas ressentidos com Dilma que querem um prêmio de consolação do governo. Sem base confiável no Congresso, com bancada petista em constante declínio, Dilma Rousseff não tem opção, a não ser aceitar a oposição de seus aliados.

Matheus Leitão

Matheus Leitão é jornalista há 15 anos. Em sua carreira, passou pelas redações do Correio Braziliense, revista Época, portal iG e Folha de S.Paulo. Matheus recebeu o Prêmio Esso por duas vezes, o Troféu Barbosa Lima Sobrinho -- além de menção honrosa no Vladimir Herzog. Entre 2011 e 2012, esteve na Universidade de Berkeley, na California, como Visiting Scholar.

1 Comentário para "Disputa entre PT e PMDB por Ministério de Minas e Energia tem potencial bélico"

  • Carla Sonaria Rita 03-11-2014 (11:30 am)

    Meu Deus mais um ladrão para roubar nosso Minério e quebrar empresas mineradoras.

Comente

O autor do blog não se responsabiliza pelo comentário.