Dilma é derrotada no primeiro dia de votação na Câmara pós eleições

29/10/2014 09h42m. Atualizado em 29/10/2014 23h04m

CompartilheShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on RedditShare on VK

O primeiro dia de votação na Câmara dos Deputado pós eleições foi uma prévia da vida difícil que Dilma vai enfrentar no Legislativo, com uma oposição mais robusta. Os deputados suspenderam o decreto presidencial que previa a criação de Conselhos Populares. Todavia, a decisão final será tomada pelo Senado.
Contra o decreto do governo federal, a oposição conseguiu o apoio de partidos da base, como PMDB e PP. PT, PCdoB, Psol e parte do Pros inviabilizaram a votação com a apresentação de requerimentos. Depois de mais de duas horas e meia de obstrução, o decreto presidencial acabou derrotado em uma votação simbólica.
A deputada Jandira Feghali (RJ) criticou “alegria” de deputados com o resultado.
– Estou vendo uma certa alegria no Plenário pela possibilidade de derrotar o decreto, como se isso fosse uma derrota retumbante do governo, mas, depois da vitória retumbante da presidente Dilma, isso é uma coisa menor – disse a líder do PCdoB.
O decreto assinado pela presidente Dilma Rousseff e sustado pela Câmara dos Deputados cria um sistema de participação chefiado pela Secretaria-Geral da Presidência da República, com um conselho permanente; comissões temáticas; conferências nacionais periódicas; uma ouvidoria pública federal; mesas de diálogo; fóruns interconselhos; audiências e consultas públicas; e ambiente virtual de participação social.
A ideia do governo é permitir que as entidades influenciem as políticas e os programas de governo, consolidando a participação como um método de governo. Embora intitulados como conselhos populares, os integrantes dessas comissões deteriam o poder de decisão dos assuntos discutidos e seriam escolhidos pela Secretaria-Geral da Presidência da República, hoje ocupado por Gilberto Carvalho.

Matheus Leitão

Matheus Leitão é jornalista há 15 anos. Em sua carreira, passou pelas redações do Correio Braziliense, revista Época, portal iG e Folha de S.Paulo. Matheus recebeu o Prêmio Esso por duas vezes, o Troféu Barbosa Lima Sobrinho -- além de menção honrosa no Vladimir Herzog. Entre 2011 e 2012, esteve na Universidade de Berkeley, na California, como Visiting Scholar.

    Comente

    O autor do blog não se responsabiliza pelo comentário.