Saem Mantega, Gilberto Carvalho e Marta Suplicy. Jaques Wagner e Josué Alencar são cotados para novo ministério de DIlma

28/10/2014 07h16m. Atualizado em 28/10/2014 16h54m

CompartilheShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on RedditShare on VK

Jaques Wagner, Gilberto Kassab, Cid Gomes, Henrique Alves, Josué Alencar, Fernando Trabuco foram os nomes mais cotados no banco de apostas da imprensa para a “turma que entra” na nova composição ministerial a ser apresentada pela presidente reeleita, Dilma Rousseff, em seu segundo mandato.
Já na “turma que sai” são certos os nomes de Guido Mantega, ministro da fazenda demitido publicamente durante a campanha eleitoral, além de Gilberto Carvalho e Marta Suplicy, desgastados com Dilma por representarem o movimento “Volta, Lula” durante a pré-campanha presidencial.
Em nota no Panorama Político do Globo desta terça-feira (28), Gilberto Carvalho confirma que deve se afastar do primeiro escalão do governo e diz que “já deu o que tinha dar”. Carvalho pode ser acomodado no segundo escalão do governo ou no Instituto Lula.
Já Marta Suplicy, que deve voltar ao Senado para cumprir mais quatro anos de mandato, pode ser substituída por Juca Ferreira, de acordo com informações do blog de Gerson Camarotti, no G1 da Globo.
Nos bastidores do Planalto, Jaques Wagner é considerado como nome certo para o novo governo Dilma. Ele acertou ao escolher seu sucessor na Bahia e garantiu ao PT uma das melhores votações estaduais do país. Além disso, seu perfil conciliador é adequado para um governo de diálogo, anunciado por Dilma para os próximos quatro anos.
A jornalista Monica Bergamo publicou ontem em sua coluna que o diretor executivo do Bradesco, Luiz Trabuco, está sendo cotado para substituir Mantega na Fazenda. Ao ser confrontada com a informação durante entrevista ao vivo para o Jornal da Record, Dilma Rousseff mostrou irritação e rebateu a repórter pela especulação. Camarotti aposta em Nelson Barbosa para substituir Mantega.
A especulação de que Mercadante trocaria a Casa Civil pela Fazenda foi deixada para trás, uma vez que não é um nome que soa bem aos ouvidos do mercado.
Josué Alencar, empresário mineiro e filho do ex-vice presidente da República José Alencar, é apontado como nome forte para o ministério do Desenvolvimento.
Para conter a base aliada, Dilma Rousseff deve ampliar a participação de Michel Temer na escolha de novos ministros, depois que o vice-presidente demonstrou força na campanha de segundo turno, principalmente no Nordeste, onde mobilizou o PMDB regional. Henrique Alves pode vir a substituir seu primo, Garibaldi Alves, no ministério da Previdência, e se tornar o principal interlocutor do governo com Eduardo Cunha, o provável próximo presidente da Câmara, de personalidade forte e avesso a Dilma.
Dilma Rousseff pode ainda escalar Gilberto Kassab, presidente do PSD, e manter Afif na secretaria da Micro e Pequenas Empresas, de acordo com informações publicadas no Globo.
Cid Gomes, que encerra mandato de governador do Ceará, é cotado para o Ministério da Educação e para o Ministério da Integração. Na Educação, o atual ministro Henrique Paim é bem visto pelo PT, e sua substituição pode gerar resistência no partido. Na Integração a acomodação de Cid parece ser mais natural, que já pode ter importante papel para concretizar a transposição do Rio São Francisco.

Matheus Leitão

Matheus Leitão é jornalista há 15 anos. Em sua carreira, passou pelas redações do Correio Braziliense, revista Época, portal iG e Folha de S.Paulo. Matheus recebeu o Prêmio Esso por duas vezes, o Troféu Barbosa Lima Sobrinho -- além de menção honrosa no Vladimir Herzog. Entre 2011 e 2012, esteve na Universidade de Berkeley, na California, como Visiting Scholar.

    Comente

    O autor do blog não se responsabiliza pelo comentário.